A amamentação nos primeiros seis meses é imprescindível na vida de uma criança. Com o leite materno, o bebê fará uma digestão mais fácil e com menos cólicas, e diminuirá o risco de apresentar no futuro doenças como alergias alimentares e respiratórias, entre outros problemas.

A mãe também é beneficiada durante uma amamentação. Além de restringir sua relação com o filho, ele volta ao normal de forma mais rápida e retorna ao seu peso com mais facilidade. O ato de ajudar amamentar a evitar anemia, hemorragias, câncer de mama e ovário e osteoporose.

Etapas

Nos primeiros dias após o nascimento, o bebê é alimentado pelo colostro, o leite mais amarelado e grosso. Nessa fase, o número de vetores é maior e favorece a imunização de recém-nascidos contra vírus e bactérias; também estimula o intestino a se desenvolver e eliminar como fez anteriormente.

Depois de alguns dias, uma mãe passa a produzir leite maduro, lactose, vitaminas, proteínas, água e gordura, que contribui para o desenvolvimento de uma criança com mais forma e mais saudável e evitar doenças, até um ano de idade. “A partir dos seis meses, algumas frutas e legumes podem ser incorporados à alimentação do bebê, mas é indicado que a mãe continue com o leite materno também”, sugere Dra. Fernanda Coimbra Miyasato, especialista em Reprodução Assistida pela Fertivitro – Centro de Reprodução Humana.