Pacientes com 35 anos ou menos que passaram por tratamentos de reprodução assistida, congelaram seus óvulos e não irão utilizar para novos tratamentos de infertilidade, podem doá-los às mulheres que não ovulam e querem realizar o sonho de ter um filho.

Uma mudança na lei da medicina reprodutiva incentiva, ainda mais, a prática de doação. Desde o dia 8 maio de 2013, de acordo com as regras estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), na Resolução CFM nº 2.013/13, é permitido que mulheres de até 35 anos doem seus óvulos para pacientes mais velhas (de até 50 anos) e que não produzem mais óvulos, em troca do custeio de parte do tratamento.

Para auxiliar pacientes com problemas de infertilidade, com recursos limitados para investir em um procedimento de reprodução assistida, a Fertivitro adota a prática de doação compartilhada de óvulos em seu programa de baixo custo, o Opportunity. A paciente que optar por participar da doação e permitir que metade de seus óvulos seja encaminhada para outra mulher terá um desconto maior em seu tratamento, além do valor que já é oferecido normalmente pelo programa.

Procedimento
Mulheres interessadas em doar os seus óvulos, devem procurar a Fertivitro e agendar uma consulta. A comercialização de óvulos é proibida no Brasil, de acordo com o Código de Ética criado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). A Fertivitro segue as leis estabelecidas pelo CFM.

Mais informações relacionadas à reprodução assistida estão nos canais da Fertivitro:

Site: www.fertivitro.com.br

Blog: http://fertivitro.wordpress.com

Facebook: www.facebook.com/fertivitro

Twitter: www.twitter.com/fertivitro