Embrião é o resultado da união do espermatozoide e óvulo (gametas) fecundados, que vai dar origem ao feto. Considera-se período embrionário o tempo entre as sete primeiras semanas após a fecundação, porque a partir da oitava, já é possível denominar de feto.

 

Quando um casal passa por um tratamento de fertilização in vitro, em que os gametas são fecundados em laboratório e não dentro do útero, nunca pensam no que fazer com os embriões fecundados e não utilizados quando a gravidez acontece. A maior preocupação é ter embriões saudáveis e na quantidade suficiente para que os procedimentos tenham bons resultados.

 

Mas é importante saber que quando esses embriões não são usados, eles não podem ser descartados. De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), o material deve ser congelado e preservado em laboratório para uso posterior, por tempo indeterminado. Caso os pacientes não tenham a intenção de utilizar o que sobrou, para a tentativa de novas gestações, devem doar para pesquisas científicas ou para outros casais.