Se você tem dúvidas sobre como ser mãe após quimioterapia, vamos falar sobre Oncofertilidade.

Infelizmente, não é incomum que mulheres em idade reprodutiva – especialmente entre os 30 e os 45 anos – adoeçam com câncer.

O câncer se torna uma preocupação para as mulheres por diversos motivos, entre eles o fato de que muitas delas nutrem um enorme desejo de se tornarem mães, um sonho que acaba sendo ameaçado pela agressividade do tratamento oncológico que precisarão enfrentar.

Isso porque a quimioterapia e a radioterapia podem ter diversos efeitos no organismo e no potencial reprodutivo, como por exemplo, a destruição total ou parcial da reserva de óvulos, o que pode levar a mulher a infertilidade.

Nesses casos, com o intuito de preservar a fertilidade, uma das possibilidades é o congelamento de óvulos.

Assim, após o tratamento, quando for liberada pelo médico, a mulher pode optar por ter filhos biológicos.

Mas, se você está lendo esse texto e já começou a se tratar, saiba que a maternidade ainda é perfeitamente possível. Já ouviu falar em ovodoação ou embrioadoção?

É possível recorrer à reprodução humana assistida usando óvulos ou embriões doados por outra pessoa. O importante é que, depois de uma história de tanta superação, você ainda tem opções para ser mãe!

Para mais informações, fale com a Fertivitro!
WhatsApp (11) 99546-6272.

Dr. Luiz Eduardo Albuquerque
CRM 61351
Reprodução Humana Assistida

#oncofertilidade #preservacaodafertilidade #congelamentodeovulos #ovodoacao #tratamentooncologico #pacientesoncologicos #engravidar #tentantes2021 #reproducaoassistida #reproducaohumana #drluizeduardoalbuqueque #fertivitro