Além de prejudicar sua qualidade de vida, a obesidade interfere na fertilidade de homens e mulheres de forma negativa.

O sobrepeso e a obesidade estão associados a altas taxas de gordura no organismo que, por sua vez, interferem na produção e no metabolismo de hormônios importantes para o processo reprodutivo.

Nas mulheres, a obesidade influencia na produção do hormônio estrogênio, podendo causar distúrbios na ovulação, Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) e infertilidade.

Mesmo quando submetida a tratamentos de reprodução humana assistida, o excesso de gordura no organismo causa um processo inflamatório que reduz a qualidade dos óvulos e as taxas de gravidez, além de aumentar o risco de aborto para a paciente.

Quando olhamos para a fertilidade do homem, a obesidade aumenta a produção do hormônio estradiol que, em contrapartida, reduz tanto a produção como a qualidade dos espermatozoides.

Os números são preocupantes…

Dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), divulgada pelo IBGE em novembro de 2020, mostraram que o percentual de pessoas obesas em idade adulta no Brasil dobrou nos últimos 17 anos, de 12,2% em 2002, para 26,8% da população em 2019.

E mais, a população adulta com excesso de peso representa hoje 61,7%, ou seja, 2/3 da população brasileira.

A obesidade e o excesso de peso, assim como o sedentarismo, têm contribuído de forma significativa para o aumento dos casos de infertilidade.

Por isso, se você quer ter filhos, procure ajuda profissional para cuidar da sua saúde e alimentação, e perder peso de forma saudável antes de engravidar.

Para mais informações, fale com a Fertivitro!
WhatsApp (11) 99546-6272.

Dr. Luiz Eduardo Albuquerque
CRM 61351
Reprodução Humana Assistida

#obesidade #excessodepeso #fertilidade #infertilidade #hormônios #saúdedamulher #saúdedohomem #tentante #engravidar #reproducaohumana #reproduçãoassistida #drluizeduardoalbuqueque #fertivitro